Informação necessária.
 

CADASTRE-SE

Faça seu cadastro para receber nosso informativo eletrônico:
Nome: Informação necessária.
E-mail: Informação necessária.E-mail inválido.
 
Youtube Twitter Facebook
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

ARTIGOS

  18/04/2017 

Não descuidemos de uma autêntica comunicação! Fabiano Faria de Medeiros

Lendo um trecho das cartas de J.R.R Tolkien que contem a narrativa pós Senhor do Anéis – o retorno do rei, algo me chamou a atenção: “…visto que estamos lidando com Homens, é inevitável que devemos preocupar-nos com a característica mais lamentável de sua natureza: sua rápida saciedade com o bem. De modo que o povo de Gondor, em tempos de paz, justiça e prosperidade, ficaria descontente e inquieto — enquanto os monarcas descendentes de Aragorn tornar-se-iam apenas reis e governadores — como Denethor ou pior.”

Quem assistiu e leu os livros sabe a que se refere a citação de cada personagem, mas detenho-me na expressão: “é inevitável que devemos preocupar-nos com a característica mais lamentável de sua natureza (do homem): sua rápida saciedade com o bem.”

Vivemos atualmente uma cultura que está, infelizmente, nos arrastando para este nefasto status de profunda insatisfação, murmuração e avidez por novas experiências por vezes negativas, que sobrepõem inclusive o bem. Delimitando minha reflexão ao campo da comunicação de mídia, cito Bento XVI que fez uma duríssima colocação a respeito, dizendo: “Trata-se de “uma cultura que não busca o bem, já que o moralismo em realidade é uma máscara para confundir, para criar confusão e destruição. A esta cultura, na qual a mentira se apresenta como verdade e informação, a esta cultura que busca só o bem-estar material e nega a Deus, nós dizemos ‘não”.

Quantas vezes não buscamos com rápida e pertinente atenção, as más notícias, as contendas, as “great news” dos mais sórdidos assuntos, pois ficamos tíbios, descontentes e insatisfeitos com a quietude, paz e bem que, longe de serem comodismo, são na realidade frutos de grandes batalhas pela verdade.

Buscamos, buscamos e buscamos. Temos em nossos sentidos um “Bad Search Engine” que alimenta nossa insaciável sede e fome de notoriedade. Pecamos pela “gula midiática” e podemos findar com uma indigestão maléfica da alma, pois não sabemos lidar com todas as ansiedades, as contradições e a criatividade própria deste contexto. Lembrando que nisso não reside o descaso ou omissão diante da verdade dos fatos que necessariamente devem ser anunciados e denunciados.

Não descuidemos de uma autêntica comunicação! Comuniquemos a verdade com coragem, oportuna e inoportunamente, mas deixemo-nos saciar pelo bem e de modo especial no silêncio, pois Bento XVI nos ensina que: “O silêncio é parte integrante da comunicação e, sem ele, não há palavras densas de conteúdo. No silêncio, escutamo-nos e conhecemo-nos melhor a nós mesmos, nasce e aprofunda-se o pensamento, compreendemos com maior clareza o que queremos dizer ou aquilo que ouvimos do outro, discernimos como exprimir-nos.”

Fabiano Faria de Medeiros - Blogueiro
Blog: fabianomartatobias.com.br

Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

PÁGINA INICIAL

 
 

Copyright © 2009-2017 Agência da Boa Notícia  •  Todos os direitos reservados.
Av. Des. Moreira, 2120, sala 1307 - Aldeota  •  CEP: 60170-002  •  Fortaleza - CE
Fone/Fax: (85) 3224.5509  •  E-mail: boanoticia@boanoticia.org.br

    www.igenio.com.br